Total de visualizações de página

quarta-feira, 31 de julho de 2013

POR OCASIÃO DA QUEBRA DE CRUZES: A GRAÇA E A CRUZ


A trajetória dos fiéis não foi sempre fácil. Graças a Deus nunca foi fácil para mim. Não foi fácil até aqui e não espero que se torne calmo daqui para frente, nem peço a Deus tranquilidade, pois é como diz o ditado: “Um mar tranquilo não faz um marinheiro habilidoso”. Eu quero estar pronto na próxima batalha diante dos inimigos da cruz. Tanto daqueles tais que odeiam, quanto dos falsos cristãos que desprezam a Cruz apresentada nas palavras de Jesus: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me.” (Marcos 8.34). Pois amam mais a vida do que a esperança dos filhos de Deus, “Quem quiser, pois, salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por causa de mim e do evangelho salvá-la-á.” (35).


Quando a luta fica mais acirrada me lembro de que, chegando o tempo de Jesus ir para o céu, ele foi para Jerusalém. (Lucas 9.51). Foi em Jerusalém, a cidade também chamada de “cidade de paz” que ele enfrentou o sofrimento experimentado por tantos profetas. O Senhor lamentou sobre esta cidade dizendo: “Jerusalém, Jerusalém, que mata os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes quis eu reunir os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das asas, e vós não o quiseste!” (Mateus 23.37).

Não foi apenas em Jerusalém que o Salvador foi rejeitado, Ele também foi rejeitado por muitos de Samaria, contudo, Jesus os amou, pois enquanto os seus discípulos desejavam que Jesus destruísse os samaritanos por causa da rejeição deles (Lucas 9.54), o Mestre os ensinava dizendo: “amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam; bendizei aos que vos maldizem, orai pelos que vos caluniam.” (Lucas 6.27, 28).

Estamos vivendo tempo de escárnio e intolerância contra cristãos no nosso país, não quero incitar o ódio contra os perseguidores que ultrajam e escarnecem da fé cristã, mas alertar aos cristãos que não podemos eleger políticos corruptos, apoiadores e financiadores dos perseguidores dos cristãos. É natural desejarmos neste momento a destruição deles, mas não é isso que aprendemos com Jesus Cristo. Também aprendemos com Jesus a amar, pagar o mal com o bem, abençoar e orar por eles e seguir o nosso caminho de paz.

Seguir o nosso caminho de paz não é se acovardar e trocar a verdade por uma mentira, em nome da liberdade, da paz e da unidade falsas. Lutar contra o mal com as armas da verdade e da justiça é um ato de amor ao próximo, com diz o Rev. Hernandes Dias Lopes: “Um Amigo de Verdade: um amigo verdadeiro é aquele que ama em todo tempo. Confronta você em particular e defende você em público. Prefere o desconforto do confronto ao conforto da omissão. A ferida feita pelo amigo é melhor do que a bajulação do hipócrita.”.

Jesus segue o seu caminho até a cruz, porque Ele é coerente com o que prega. Jesus disse a cada um de seus seguidores que deveria tomar a sua própria cruz e segui-lo, então deixa o seu exemplo. Mas, JESUS CRISTO não morreu apenas para nos dar um exemplo! Ele é o nosso Salvador, morreu em nosso lugar, para nos dar a vida eterna juntamente com Ele! “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.” (Efésios 2.8, 9).

A cruz de Jesus Cristo serve para o sacrifício vicário, isto é: substitutivo, porque Cristo morreu em nosso lugar; mas, também nos lembra do quanto são odiosos os nossos pecados, dos quais, devemos nos arrepender verdadeiramente para não profanarmos o sangue de Jesus, “O Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1.29), por “vivermos deliberadamente em pecado” (Hebreus 10.26). Isto é, premeditadamente, pecando de propósito, a pretexto da misericórdia e da graça de Deus.

Eu não espero encontrar o amor de todas as pessoas o tempo todo, já que o meu Senhor encontrou a realidade do ódio no mundo e não encontrou paz e sossego, exceto na misericórdia, no consolo e conforto de Deus. O que podemos confirmar no relato dos sofrimentos de Cristo no Getsêmani, quando ele aceita o seu cálice de dor e de morte. Peço-lhe a paciência, a perseverança, a fé verdadeira, ou seja, operosa e frutífera, o amor a Deus e ao próximo que, faça-me sempre renunciar e desprezar da mesma maneira os prazeres e os perigos e as tentações do poder, das riquezas e da popularidade.

Peço a Deus uma esperança e uma convicção que eleve ao céu o meu coração de forma que eu jamais vacile, e, peço a Deus que me conceda tudo que necessito no poder da graça e do Espírito Santo para confirmar a minha eleição e vocação. É justo, portanto, que os seguidores de Jesus enfrentem as consequências de se tornarem seguidores do Messias que foi rejeitado, do profeta que foi escarnecido, surrado e morto como um malfeitor, pois o mundo continuará rejeitando a Cristo e a nós juntamente com Ele.

Nem sempre, àqueles que se dizem seus discípulos, estarão dispostos ao sofrimento e a morte, se preciso for; não significa que todos os cristãos passarão por grandes necessidades, dores e pelo martírio, ainda que, sintamos hesitação e até medo de sermos perseguidos e mortos, no entanto, oramos a Deus para que, caso tenhamos que passar por aflições, Ele nos capacite com a força do Seu Poder para não negarmos o Seu nome.

Mas infelizmente, muitas pessoas, quando ficam sabendo o que significa ser discípulo, desistem da fé cristã para viver uma vida sem compromisso, ou, mesmo fazendo uma confissão de fé Cristã, passam a viver sem compromisso algum, como se Deus não existisse, tendo apenas o cuidado das coisas materiais e o deleite dos prazeres, sem a esperança da promessa: JESUS VOLTARÁ; porém, não há quem viva em hipocrisia, rebelião ou indiferença contra o seu Salvador, que esteja sem preocupação, pois olhando a fé dos eleitos de Deus, os quais vivem e pregam o Evangelho de Jesus Cristo, sentem-se acusados e diante do sinal do reto juízo de Deus eles ficam ás vezes aterrorizado, outras vezes suas preocupações se traduzem em ódio contra aqueles que têm esperança.

Há aqueles que adiam um compromisso com Deus, a entrada no discipulado, a obediência à vocação do evangelho para o arrependimento e entrada no reino de Deus, admitindo-O como seu Salvador, mas recusando-O como seu Senhor. Estes juntamente com os ateus e idolatras, os quais são os perseguidores externos da igreja, tornam-se também, nossos perseguidores, a ameaça interna dos falsos dos irmãos. Nós, porém temos o dever de continuar pregando a todos, pois não sabemos a quem o Senhor quer salvar. Há quem esteja na ignorância ou na dúvida (Judas 22) entre os dominados pelas trevas “salvai-os, arrebatando-os do fogo” (23).

Quem pode dizer quanto tempo você tem?

No entanto, somos gratos a Deus que tem confirmado a nossa eleição, trazendo a certeza da nossa salvação aos nossos corações, e o testemunho do evangelho em nossa vida e pregação como um sinal do reto juízo de Deus para os desobedientes e para os perversos, (II Tessalonicenses 1.4-6), pois um dia voltará o nosso Senhor, e, estaremos juntos, no Dia do Senhor (II Tessalonicenses 1.7-10). Jesus foi para Jerusalém e assumiu a nossa cruz, nós, portanto, O reconhecemos aos pés da cruz, nós O seguimos no caminho de graça e de cruz, o qual Ele abriu com a Sua morte e ressurreição, pois Ele nos deu capacidade para isso no poder do Espírito Santo, pois Ele mesmo abriu a porta que nos leva para o céu.


Anatote Lopes, IPB, 2013.

terça-feira, 30 de julho de 2013

sábado, 27 de julho de 2013

CONHEÇA O JESUS VERDADEIRO

É possível conhecer alguém pelo nome, aparência física e pensamentos; obter informações básicas sobre suas atividades, família, profissão e relacionamentos... Onde esse alguém trabalha? Onde mora? Então, conhecemos melhor essa pessoa. 

Alguém que julgamos conhecer bem nos surpreende às vezes. Decepcionamos-nos ou ficamos admirados quando esta pessoa demonstra ser diferente do que pareceu aos nossos olhos, quando descobrimos a verdade sobre ela.

Jesus não foi reconhecido por alguns que o conheceram pessoalmente, os quais sabiam onde Ele morava e quem eram os seus pais, pois não esperavam ser Ele o Messias (Cristo=Enviado). Por isso Jesus questionou o conhecimento destas pessoas que, de fato, não sabiam quem Ele era realmente (Jo 7.25-31). 

A Bíblia revela quem é Jesus: o Senhor e Salvador; de onde Ele veio: veio do céu! Para que: “Para salvar o seu povo dos pecados deles”! (Mt 1.21).

Às vezes as pessoas têm uma maneira diferente de falar de Jesus. De reverenciar o seu nome e sua história. A maioria das pessoas tem uma ideia muito pessoal sobre quem seja o Mestre. No entanto, conhecê-lo, só podem àqueles a quem o Espírito Santo quiser revelar. (Mt 11.27). 

Na Bíblia Sagrada aprendemos quem Ele é verdadeiramente. O único Deus, capaz de ser ao mesmo tempo o eterno Filho de Deus, o Pai eterno e o Espírito do Pai e do Filho (Jo 14.9); sendo uma pessoa da Trindade, o próprio Deus único (10.30), fez-se homem na encarnação do Filho, assumiu uma condição humana e uma missão, aparentemente comum com os profetas de chamar pecadores ao arrependimento (Mc 1.15).

Jesus, nesta humilde condição, padeceu sede, fome, dores e tristezas. Jesus chorou (Jo 11.35). Tanto nos amou, a ponto de morrer pendurado por pregos numa cruz, recebendo a condenação dos nossos pecados, e, sendo Deus, tendo poder sobre a morte, ressuscitou, saindo da sepultura para ser o nosso Salvador, possibilitando a nós a salvação pela graça mediante fé. 

Jesus ensinou com seu próprio exemplo, mas Ele não se fez apenas um exemplo; mas, o Senhor a quem obedecemos, O Caminho, A Verdade e A Vida (Jo 14.6).

Jesus não esteve preocupado apenas com as nossas necessidades físicas e materiais, nem se ocupou de saciar nossos desejos e ambições corruptas; antes, veio para nos libertar espiritualmente, pois se revela na Bíblia, Sua Palavra, na qual encontramos a orientação, o sentido e uma direção para a nossa existência. 

Ele se revela a quem Ele capacita para crer e entender; no poder do Espírito Santo nos transforma. 

Já ouviram que a Salvação é pela graça? Realmente é pela graça; e, quando a Sua graça nos alcança o Seu poder opera em nós e já não somos mais os mesmos.

Jesus entra em um relacionamento de aliança conosco, e, então, podemos dizer: JESUS É O NOSSO SENHOR E O NOSSO SALVADOR. Passamos a amá-lo mais do que, a qualquer outro ser ou coisa, e, a tê-lo como querido Salvador, para quem vivemos em uma entrega total. 

Reconheça o verdadeiro Jesus e o seu Verdadeiro Evangelho, atenda à sua Palavra, faça hoje a sua entrega total e deposite Nele sua total confiança. 

Ele é o único Salvador e será para sempre o seu único Senhor.


Anatote Lopes, IPB, 2013






sexta-feira, 19 de julho de 2013

NÃO VÁ ESQUECER HEIM? (II)







Deus é perfeito, nós não. Nós temos o problema da doença do pecado, bem como de outras mazelas e consequências do pecado. Precisamos vencer e superar o nosso maior inimigo: “nós mesmos”; olhar para nós mesmos, e, esforçarmo-nos para melhorar a cada dia com a ajuda de Deus, “Pois todos pecaram e carecem da gloria de Deus.” (Romanos 3:23).

Abandonamos as pessoas que amamos, não porque elas têm diversos defeitos, pois, até Deus que é perfeito nós o abandonamos. Assim como diz o Profeta: “Acaso pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas, ainda que esta viesse a esquecer-se dele, diz o Senhor – Eu, todavia, não me esquecerei de ti. Eis que nas palmas de minhas mãos te gravei...” (Isaías 49.15-16). 

Quanto a nós, irmãos, mesmo os que se declaram crentes, muitas vezes, vivem como se Ele não existisse; chamaram isso de “ateísmo Cristão” (Augustus Nicodemos Lopes). No entanto Deus não nos abandona. 

Contou-me um amigo, que uma jovem todos os dias usava o mesmo ônibus para ir ao trabalho, e logo pela manha, neste ônibus, viajava um homem, um senhor de cabelos brancos, todos os dias. Até que um dia tiveram a oportunidade de conversar: 

– Olá! 

Disse a jovem ao senhor que, perguntou: 

– Nos conhecemos? 

Ela replicou: 

– Sim claro! Vejo o senhor todos os dias no ônibus, indo ao trabalho. 

Mas o velho respondeu: 

– Jovem, eu sou aposentado a mais de 20 anos. 

Esta jovem agora queria esclarecer aquele mistério: porque então todos os dias ele estava no ônibus? Para onde iria todos os dias? Inquiriu a jovem do senhor de cabelos brancos: 

– Senhor desculpe-me perguntar, aonde o senhor vai todos os dias. 

Ele respondeu: 

– Não precisa se desculpar, eu respondo a sua pergunta. – Continuou. – Eu vou a clinica todos dos dias. 

Ela quis saber mais: 

– O senhor é dono da clinica ou tem algum filho que trabalha lá? 

Então, contou-lhe o senhor: 

– Minha esposa adoeceu, com o mal de Alzheimer. Ela já não reconhece mais ninguém. Nós somos casados faz 49 anos e há 10 anos todos os dias eu vou vê-la, beijá-la e ficar perto dela. Pois, ela está acamada e já não reconhece mais ninguém, já não esboça nenhuma emoção, ela fica em seu leito, deitadinha, o tempo todo, quase sempre dormindo. 

A jovem então perguntou: 

– Mas, eu não entendo! Se ela não reconhece mais ninguém, porque o senhor vai encontrá-la todos os dias? 

O velho então respondeu muito emocionado e com um sorriso, disse ele: 

– Ah! Ela não se lembra de mim, mas eu não a esqueço! Nós vivemos uma vida inteira e eu a amo de verdade, como eu poderia esquecer a mulher que eu amo! Afinal, é ela que está doente e não eu! 

Assim também, nós estamos doentes, mas Deus não. Nós o esquecemos, mas ele se lembra de nós. Nós temos o consolo de que o Senhor Deus nunca esquecerá cada um de seus filhos a quem ele ama, é reconfortante saber que Deus nunca se esquece de nós, ele tinha em mente cada um de nós, quando do céu enviou o seu filho para salvar o seu povo dos pecados deles (Mateus 1.21). 

Anatote Lopes, IPB, 2013 






quarta-feira, 17 de julho de 2013

UMA PROPOSTA CONTRA CULTURAL E LIBERTADORA





Pois eu sei que somos igualmente pecadores, mas Cristo fez toda a diferença na vida da minha avó que, convertida ensinou um novo caminho ao meu pai, este o seu caçula se converteu ainda menino, ele nos ensinou a não mentir e a não roubar, pois Cristo mora dentro do nosso coração e não podemos nos conformar e nem nos calar, afinal, temos que fazer a diferença.


Quando eu fui também alcançado pelo evangelho da graça, no poder e na graça pelo Espírito (Soli Deo Gloria) decidi não viver mais a vida velha segundo o curso da boiada, nem seguir a estrela ou o pássaro bicudo, mas olhar para o céu sempre com esperança, orar sempre por uma intervenção do céu até a volta do nosso Senhor, e, nunca viver em conformação e omissão, mas sabendo que o velho homem foi crucificado com Cristo, para que o corpo do pecado seja destruído, "e não sirvamos o pecado como escravos." (Rm 6.6).

Afinal somos livres em Cristo. Eu acredito que todo homem regenerado pode se levantar como profeta nesta geração e chamar os pecadores ao arrependimento, como fizeram os profetas que anunciaram o Messias, e como fez nosso Senhor, os apóstolos e todos os pregadores do evangelho. Nós temos um berço nobre, nós que nascemos num lar verdadeiramente cristão e temos um berço espiritual, nós que nascemos de novo, e, não somos contados com os corruptos e impuros, nem seguimos o curso do mundo e da cultura, mas temos uma proposta contra cultural e libertadora: O EVANGELHO DE JESUS CRISTO.

Anatote Lopes, IPB, 2013


quinta-feira, 11 de julho de 2013

NÃO VÁ ESQUECER HEIM?



O melhor remédio para o esquecimento é a gratidão. Nada é mais prejudicial a uma amizade do que a ingratidão. Esquecemo-nos dos nossos votos de fé, serviço, vida comunitária e adoração, porque somos ingratos para com Deus. Mas, também, é possível viver dentro da igreja esta ingratidão e abandono, sinalizada por uma religiosidade falsa ou no mínimo fria; é quando o honramos com os nossos lábios, mas não é Cristo que habita em nossos corações. (Marcos 7.6).

Tendo Jesus Cristo nos amado e sofrido por nós, entregado a sua própria vida na cruz, muitos de nós não perseverarão diante da menor dificuldade, não perdoarão às vezes os menores erros dos seus irmãos. Por isso somos não apenas ingratos, mas covardes, odiosos e rancorosos desprovidos do Espírito Santo, e, não adoramos a Deus de fato, por tudo que Ele fez, pois quando os nossos corações não liberam perdão, quando abandonamos os nossos irmãos e não honramos os nossos votos, o que acontece é que, mesmo mantendo uma agenda regular de exercícios religiosos e de costumes, nos esquecemos de Deus e passamos a viver como se Ele não existisse. (Mateus 6.14, 15).

Contudo, é apenas pela ingratidão que abandonamos a casa de Deus. Pois se de fato, Deus fez grandes coisas nas nossas vidas e nós somos eternamente gratos ao nosso Senhor, pelo poder do Espírito Santo jamais esqueceremos. O remédio para o esquecimento de Deus é a gratidão, porém nada a parte do Seu Espírito; pois não nos esquecemos de Deus quando ele habita em nossos corações de fato, mas, somos gratos a Ele por tudo mais que existe. É incrível que pessoas que se dizem cristãs se esqueçam de Deus, de que ele é o Criador, do que Jesus fez por elas na cruz, de seus mandamentos, da Palavra de Deus, da comunidade de fé, da comunhão que ele ordenou e do amor de Deus derramado em nossos corações pelo Espírito. (Romanos 5.5).

No caso dos israelitas acontecia frequentemente; o que é um péssimo exemplo para nós. Serve-nos de advertência: quando gozavam saúde e prosperidade se esqueciam de Deus, mas na adversidade clamavam por socorro. Esquecia-se tanto de Deus ao ponto de abandonarem o culto a Deus e se voltarem a outros deuses. O mesmo acontece hoje quando trocamos a ocasião de ajuntamento para adoração, o culto solene, por distrações com pessoas, divertimentos e festas.

Deus traz a lembrança de Israel e à nossa lembrança também que, ele é o Senhor, o nosso Deus, único e Salvador, o qual livra o seu povo da escravidão do Egito, isto é, do mundo, para servi-lo e adorá-lo, e, da mesma forma que supriu aos israelitas no deserto, saciará a nossa alma sedenta (Oséias 13.4, 5). A alma que busca nos prazeres mundanos tal alívio, o qual deveria receber do seu Senhor, às vezes, esquecendo-se do seu Salvador, está doente espiritualmente, tomara que não esteja ainda morta, pois não existe nada pior para a alma humana do que se esquecer de Deus (apostasia).

Conta-se que numa igreja o pastor adoeceu, com o mal de Alzheimer. Ele não reconhecia mais ninguém. Sua esposa com quem viveu 45 anos aproximou-se de seu leito e perguntou: “Querido, sou eu, sua esposa! Você lembra-se de mim?” Ele se esforçou para lembrar, mas respondeu sinceramente que já não se lembrava. Ela perguntou então: “E de Jesus você lembra?” Mas, ele que, já não esboçava nenhuma emoção, de repente ficou muito emocionado e com um sorriso disse: “Ah! De Jesus, sim! Meu Salvador! Meu Senhor! Desse eu me lembro!” Aquela família ficou consolada apesar do drama que vivia, pois foi reconfortante saber que Jesus continuava vivo na mente e no coração de uma pessoa doente.


Anatote Lopes, IPB, 2013

terça-feira, 2 de julho de 2013

RESISTÊNCIA CRISTÃ AOS FALSOS ENSINOS DISSEMINADOS NAS ESCOLAS DO GOVERNO

A Senadora Marta Suplicy apresentou ao Presidente do Senado para que seja votado esta semana o Projeto de Lei para proibir as comemorações do dia das mães e do dia dos pais nas escolas. O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB/AL), integrante da base aliada do Governo do PT, trará novamente a pauta o PL 122/2006 de autoria da Deputada Iara Bernardi (PT/SP).

Mesmo depois de barrado o Kit Gay (contendo uma cartilha de erotização infantil e um vídeo que incluía a novela de um menino gay e cenas de beijo lésbico), e, não tenham legislação que os permitam disseminar a doutrinação do ativismo gay nas escolas, eles já iniciaram a doutrinação das crianças brasileiras para alcançarem aquilo que o Deputado Jean Wyllys (PSOL/SP), ligado ao Movimento LGBT e Luiz Mott do Movimento Gay da Bahia denominam de desconstrução da heteronormalidade e da família tradicional e educação para a diversidade sexual nas escolas a partir da primeira infância.

Chegaram ao interior livros didáticos para ensinar nossas crianças a partir dos 7 anos de idade que, dois homens ou duas mulheres se casarão e se constituirão em família e que, a família tradicional não é o padrão. Este material não vai para as casas das crianças (aqui no Oeste Paulista), pois o inimigo sorrateiramente os quer colocar nas mãos delas em sala de aula, mas professores cristãos estão resistindo e não apresentam o seu conteúdo. Deve o professor dizer aos seus alunos, e, os pais cristãos dizerem aos seus filhos que tal conteúdo é mentira (sigam este exemplo urgente).

Formaremos cristãos ainda mais questionadores da versão oficial do que se ensina nas escolas, das versões da história que são contadas nas escolas, das teorias científicas que são defendidas como fato e não como hipótese e do ensino da incredulidade e da imoralidade que está sendo disseminada. Ensinemos os nossos filhos a fazer uma leitura crítica do mundo à luz da Palavra de Deus (A Bíblia). Todo aparato político e midiático empregado não extinguirá a resistência cristã a agenda diabólica do Governo.

Crianças cristãs devem ser orientadas para distinguir o pecado e o seu avanço no mundo como uma ação do mal para a sua destruição. Ou seja, dois homens ou duas mulheres se comportando como papai e mamãe são pessoas que estão cometendo um pecado gravíssimo e a multiplicação deste tipo de pecado é um sinal de que o Senhor Jesus está punindo o mundo (Romanos 1.26-27) e que Ele voltará para julgar até mesmo a vida privada dos seres humanos (Romanos 2.16).

Os cristãos deverão viver em santidade e ensinar as virtudes da pureza segundo o evangelho contra toda torpeza e promiscuidade. Contra isso ainda não há lei humana, e, mesmo que houvesse lei que extinguisse este direito, como a famigerada lei apelidada de “criminaliza a homofobia” que, tramita há quase 10 anos no Congresso Nacional, a Verdade prevalecerá. Ainda que todos mintam, a Verdade jamais será adulterada para justiçar a perversão da humanidade nos últimos dias. 

Os fiéis, pais e professores cristãos expressarão o verdadeiro amor. Continuarão a pregar a Verdade e a ensinar aos seus filhos, nas escolas (discretamente) e no lar e nas igrejas explicitamente que é pecado deitar um homem com outro homem com se fosse uma mulher ou uma mulher com outra mulher como se fosse um casal. (Romanos 1.27; Levítico 18.22).

Na Igreja, os pastores e os professores, já são provocados pelos pais admirados e preocupados com o nível baixíssimo a que decaiu a moralidade nos últimos dez anos, para que, ensinem a Verdade de Deus contra toda a mentira do diabo que se propaga, pois, acontecerá conforme está escrito: "É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens!" (Atos 5.29).

Jamais a família de verdade e a Igreja de Cristo verdadeira, trocará a verdade do ensino bíblico pelo ensino de demônios. O Evangelho sempre será uma chamada ao arrependimento e a nova vida em Cristo, porque ele veio salvar o seu povo dos pecados deles. (Mateus 1.21). Nem mesmo por força de lei. Jamais se apagará a chama da Verdade, jamais se extinguirá a Palavra de Deus. Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não hão de passar. (Lucas 21.33).


Anatote Lopes, IPB, 2013