Total de visualizações de página

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

PREGAÇÃO EXPOSITIVA: POR QUÊ?

Por Anatote Lopes


O Pr. Mark Dever explica que o chamado não é uma autorização para falar o que quiser. Pregar não é falar ao microfone para um auditório o que vier no coração ou na mente. O pregador é chamado para pregar a Palavra de Deus. As pessoas precisam ouvir a Deus e não as opiniões das outras. O pregador expositivo é um estudante da Bíblia. Ele tem um texto específico e o ponto central deste será o mesmo da sua mensagem. Deus formará o seu povo gerando vida no vale de ossos secos (Ezequiel 37). A visão (1-10) é por Deus interpretada (11) e o profeta proclama a Palavra de Deus revelada. Israel estava no exílio por causa do pecado, então o povo diz: “pereceu a nossa esperança”, mas Deus lhe responde: “porei em voz o meu Espírito e vivereis” (14). A pregação expositiva é mais do que lições morais, históricas, sociais, ainda que, componham uma pregação, mas a Palavra pelo poder do Espírito gera vida.

O ministro faz outras coisas, mas ele é chamado para pregar a Palavra de Deus. O pastor compõe comissões, ouve a igreja, visita os doentes, lê bons livros, participa de conferencias, mas, nada disso foi recomendado por Paulo, a Timóteo. Ele recomendou: “Pregue a Palavra” (II Tm 4.2). Jesus e os apóstolos tinham como prioridade a pregação da Palavra de Deus, e diante das outras demandas da comunidade incumbiram a outros. Disseram os apóstolos: “Quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da Palavra.” (Atos 6.4). A pregação expositiva não é popular, principalmente entre os jovens que, queixam-se: “por que todos nós temos que ficar quietos e apenas uma pessoa falar?”. O individualismo e o subjetivismo geram a suspeita contra a autoridade e leva a pessoa à confusão, mas os cristãos se assentam diante de uma pessoa em pé para ouvir a Palavra de Deus. É impróprio o abuso de imagens como os ortodoxo e romanistas que abusam de ícones e esculturas porque, de acordo com a Palavra de Deus, Jesus é a imagem de Deus; Ele é o ícone de Deus. Jesus nunca ensinou aos seus discípulos desenharem ou esculpirem imagens para comunicar o evangelho, embora neste tempo, elas já eram largamente utilizadas pelos pagãos. Deus deu o seu Espírito para que eles escrevessem livros, relembrassem e explicassem a Palavra com o devido cuidado para que, nem eles mesmos fossem idolatrados.

A imagem mais antiga de Cristo é uma zombaria da ideia de que o Deus de alguém teria sido crucificado, trata-se de um ícone encontrado em uma tumba em Roma, que retrata Jesus crucificado com corpo de homem e cabeça de jumento, embaixo está escrito: “Alexamanus cultua o seu deus”. Porque os homens se tornam semelhantes aos seus ídolos. (Sl 115.4-8). O povo politeísta tinha imagens de seus deuses, mas o povo de Deus, fala a Palavra de Deus e não o representa com imagem alguma. Com tanta tecnologia disponível para exibir imagens, para muito vivemos numa época visual e que somos seres visuais, devemos lembrar que na queda perdemos a visão de Deus por causa do pecado, mas na sua misericórdia ele se revelou em Cristo. Na verdade o homem sempre foi visual e se expressou através de imagens, não sendo isso que influenciou a lei divina, ou mesmo essa constatação que a justifique, pois percebemos primeiro pelo ouvido, não pelos olhos, mas haverá o dia em que a fé cederá à visão; os ministros da Palavra esperam com expectativa este dia e “contemplarão a Sua face” (Ap 22.4). A Palavra de Deus explica os sacramentos (I Co 14.26); o povo de Deus tem que centrar a sua vida na Palavra de Deus (Dt 17.18-20).

Temos exemplos bíblicos de sermões expositivos: Uma exposição de Joel 2, Salmos 16 e 110 em Atos 2 e o livro de Hebreus que expõe o Salmo 95 e 110; etc. Não devemos nos esquecer que Jesus nos deixou os sinais visuais do Batismo e da Ceia do Senhor, os quais igualmente apresentam uma exposição da Palavra de Deus pela pregação. O que não significa que na esfera pública o cristão não possa ser um artista. O que faz uma igreja ser saudável? Ela precisa ser amigável, confortável, ter boa musica? As pessoas quando a visitarem precisam se sentir valorizadas e as suas crianças ficarem distraídas? Ainda que essas coisas possam ser boas, uma igreja para ser saudável precisa ter um ministro que se doa a pregação expositiva da Bíblia, este ministro deve orientar a igreja como utilizar os símbolos e as artes e a ser acolhedora, mas antes de tudo ele deve mostrar algo visível ao mundo: a pregação bíblica pela sua obediência a Palavra de Deus, e, esta igreja também deve mostrar ao mundo que obedece ao seu salvador.