Total de visualizações de página

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O PIONEIRO DO PRESBITERIANISMO NAS TERRAS DE DRACENA NO ANO DE 1943


O Rev. Oscar Chaves nasceu em Patrocínio, Minas Gerais, em 11 de Outubro de 1912, filho de Carlos Gonçalves Chaves e Alvina Jacintha de Oliveira Chaves. 

Nasceu em um lar católico e se converteu após estudar sobre o catolicismo e o espiritismo a partir da leitura das obras do Rev. Alvaro Reis, Cartas a um Doutor Espírita e Mimetismo Católico (o segundo é uma discussão entre o Rev. Álvaro Reis, pastor presbiteriano e o Dr. Carlos de Laet, grande líder católico). 

Mas, ainda não era "crente" e tinha vergonha de entrar na Igreja Evangélica. Só no final de 1932 se converteu. Em 1º de Janeiro de 1933, fez sua profissão de fé na Igreja Presbiteriana, com o Rev. Dr. Eduardo Lane.

Naquele mesmo ano manifestou sua vocação para o Santo Ministério; desejava ir para o seminário em São Paulo, mas, seu pastor, Dr. Lane, viu, porém, que ele estava muito "verde" e o fez esperar um ano. 

Em Fevereiro de 1934 foi para o Curso Universitário "José Manuel da Conceição", em Jandira, onde estudou durante cinco anos. Lá se formou em 1938, indo então para o Seminário de Campinas, onde concluiu o curso teológico em 1941. 

O Rev. Oscar Chaves se destacou como teólogo e também como poeta. Foi licenciado pregador do Evangelho em 26 de Janeiro de 1942 (segunda-feira), pelo então Presbitério de São Paulo, na Congregação Presbiterial "Betânia", em Pinheiros, sob o pastorado do Rev. Avelino Boamorte. 

Oscar Chaves pregou o seu sermão de prova, versou sobre João 18:36: "O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos para que eu não fosse entregue aos Judeus. Mas agora o meu reino não é daqui".

Licenciado, foi enviado pela West Brazil Mission como missionário em Paracatu-MG, sendo o primeiro obreiro a residir naquela antiga cidade mineira. De Paracatu veio para Campinas, em Julho de 1942, para se casar, no dia 3, com Edith de Campos, a senhora Edith voltou com o Rev. Oscar para Paracatu, depois das núpcias; viveram inseparáveis sob a benção do matrimonio até o fim de sua vida.

No fim de 1942 o Rev. Oscar foi convidado para ser missionário da Junta de Missões Nacionais, aceitando o convite, foi ordenado para o ministério pelo Presbitério de São Paulo, no dia 31 de Janeiro de 1943 (domingo, à noite), no templo da Igreja Cristã Reformada da Lapa, em São Paulo. 

Com o Rev. Oscar Chaves foram ordenados Wilson de Castro Ferreira e Domício Pereira de Matos. Estavam presentes no culto os Reverendos William Kerr, Avelino Boamorte, Mario Cerqueira Leite, Amantino Vassão, Miguel Rizzo (orador), Paulo Pernassetti, Júlio C. Nogueira, Jorge César Mota e o pastor da Igreja Cristã Reformada. Oficiaram como ministros assistentes os Reverendos Zaqueu de Melo e Moisés Aguiar. Seu sermão de ordenação versou sobre Filipenses 1:21: "Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é ganho". A primeira parte desse versículo é, em grego, o moto do Instituto JMC (José Manoel da Conceição).

Ordenado, foi então enviado para Lucélia, na Alta Paulista, onde fundou o trabalho presbiteriano, que nasceu em sua casa, na sala de visitas. Ficou ali dois anos deixando um terreno próprio para a Igreja, um grande salão construído e uma Escola Dominical com 127 alunos. 

Em Lucélia nasceu o seu primogênito, em Setembro de 1943 (O Rev. Oscar Chaves Faleceu em 5 de março de 1991 e sua biografia está publicada na internet no site de seu filho Eduardo Oscar).

Era de Lucélia que o Rev. Oscar visitava os irmãos na Fé Reformada, presbiterianos que aqui residiam, bem como nestas localidades de Adamantina até ao Rio Paraná. O Rev. Oscar empreendeu os primeiros esforços para aqui constituir uma Igreja Presbiteriana do Brasil, conforme consta no histórico do Livro I da Igreja Presbiteriana de Dracena.