Total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de março de 2010

O QUE FOI QUE ACONTECEU COM A MULTIDÃO? (Mt 21)

Jesus Cristo entrou em Jerusalém montado em um jumentinho e aclamado pela multidão que bradava: “Hosana ao Filho de Davi; bendito o que vem em nome do Senhor; Hosana nas alturas.” Mas, o profeta de Nazaré, aquele que ao entrar, convulsionou-se toda a cidade, naquele dia que hoje é lembrado como domingo de ramos, porque as pessoas estendiam ramos para que o Rei não pisasse nalguma pedra, tornou-se uma grande decepção.
Ao entrar no templo exigindo reverência, expulsou os que ali vendiam, e, com palavras severas reprovou-lhes a deturpação da religião pelas praticas materialistas e desonestas no próprio templo.
Ainda, depois disto, umas poucas crianças ousavam aclamá-lo Rei, das quais Cristo disse: “nunca leste que da boca de pequeninos e das crianças de peito tiraste perfeito louvor?”
Por que estou certo que aqueles adultos tinham em seu coração um tipo de messias político, ao qual Cristo não correspondeu, no entanto àquelas crianças não se ocupavam das preocupações econômicas e políticas que os adultos tinham, apenas exaltavam o Rei.
Aquela multidão teve as ambições e caprichos de seus corações frustrados pelo propósito eterno de Deus, e não tardou para que trocassem o “hosana” pelo “crucifique-o”. Eles não se sujeitaram a vontade de Deus. Antes, a multidão colocou seus interesses acima dos valores do Reino de Deus que inclui a misericórdia, o amor e o perdão.
Até hoje a disposição dos corações das pessoas muda quando seus interesses são frustrados, e podemos ouvir clamores de “crucifique-o!” “Crucifique-o!” “Crucifique-o!”