Total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

PREGAÇÃO EXPOSITIVA: COMO?

Por Anatote Lopes

Conforme afirma o Pr. Mark Dever, pregando expositivamente a Bíblia toda, podem-se proporcionar sermões aos seus ouvintes que, possibilitam uma melhor leitura de todas as categorias de livros da Bíblia. O ouvinte de sermões expositivos passa a ter maior familiaridade com esses tipos de literatura em 3 a 4 anos. Sua experiência é de passar mais tempo pregando no N.T. porque o mesmo contém o V.T. e o explica, mas também prega no A.T.; Mark prega o que denomina de níveis diferentes de exposição do texto, explicando com a figura da vista panorâmica de uma cidade da janela do avião, do alto de uma montanha ou de sua praia, sendo o nível mais natural sobre um capítulo, ou parágrafo de um livro, dependendo de seu gênero, de forma mais panorâmica; ainda a parte ou a totalidade de forma mais lenta através do livro, vários sermões em um único capítulo, trazendo do texto a sua realidade com maior profundidade. 

Depende do gênero do texto das Escrituras, reafirma que é possível pregar expositivamente em quaisquer níveis. Dá-nos exemplos no Salmo 25.11: “Por causa do teu nome Senhor” ou 21: “Porque a minha esperança está no Senhor” como sendo textos nos quais se poderia fazer uma exposição legitima, normalmente Spurgeon pregava assim. Joseph Kerl um dos puritanos da Confissão de Westminster pregou através de Jó 424 mensagens, começou em 1643 e terminou em 1666, pregou cerca de 10 sermões por capítulo, embora não tenha sido só o que ele pregou durante todos estes anos. Ele julgou relevante para sua época e no final pediu desculpas: “eu sei que não passei a vocês uma visão o suficiente clara das passagens como eu gostaria”. Esta obra tem sido publicada como a “joia da coroa da pregação puritana”. O Pr. Mark Dever também compartilha a sua experiência de pregação expositiva em diversos níveis em todos os gêneros literários, muitos já foram publicados em português. 

O Pr. Mark associa à pregação expositiva diversos nomes da teologia reformada e relembra a histórica interrupção do ministério de João Calvino em Genebra que, quando ele retornou a "Cidade de Deus" continuou a sua pregação de sermões em série, exatamente de onde ele parou. Ao lado do estilo de Spurgeon que, não fazia sermões em série, mas pregava expositivamente. Mark Dever explica como tem pregado expositivamente em um nível panorâmico nos Profetas Maiores. A vantagem de se pregar expositivamente segundo o Pr. Mark é que nunca se esgota a matéria para apresentação, mesmo que seja repetida a passagem. A igreja pode receber os textos antes da mensagem para meditar neles. Ajuda o pregador evitar o vício de repetir temas, caso o tenha. Exige muito mais estudo e dedicação, para extrair o esboço homilético do texto e fazer a exposição, a fim de apresentar o texto com precisão, investigar as categorias que precisam ser explicadas, encontrar o que o texto diz aos não cristãos e listar as implicações públicas dele nas esferas da vida cristã. Entender como isto aponta para Cristo, para as relações de trabalho, gênero, família e casamento. E, principalmente, como se aplica a nós como igreja. Levar todos estes pontos para o sermão nem sempre é possível, mas é importante para o pregador investigar cada um deles. Mark Dever sugere meditar em todos eles com a equipe pastoral.