Total de visualizações de página

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

PREGAÇÃO EXPOSITIVA: O QUE É?

Por Anatote Lopes

O Rev. Mark Dever, palestrando em um Curso de Lideres no Brasil, em resposta a questão: o que é pregação expositiva faz, a sua afirmação mais contundente logo no início: “a primeira marca de uma igreja saudável é a pregação expositiva.” E, faz a sua afirmação mais polêmica e provocativa para a geração evangélica atual: “O modelo de ensino nas igrejas em células não tem base bíblica.”

O Pr. Mark Dever informa que, pregar expositivamente é escolher, compreender e expor o texto. O ponto do texto é o foco do sermão expositivo, enquanto no sermão tópico escolhemos o assunto e vamos a Bíblia para ver o que ela tem a nos dizer. Enxergamos com clareza o que o texto tem a dizer quando vamos a ele em busca da riqueza da Palavra de Deus e não apenas das respostas e justificativas que buscamos. Não é sermão expositivo: o comentário da Bíblia versículo por versículo. Trazer uma tese pré-arranjada e discorrer a Bíblia para dar uma resposta de acordo com a sua própria tese.

Quanto ao chamado para pregar, ele afirma que não fomos chamados para sair por ai pregando o que der na cabeça, mas recebemos uma mensagem especifica para entregar, como um carteiro entrega as mensagens dos outros e não as próprias. A autoridade da Mensagem Cristã é incontestável se tiver o conteúdo da Palavra de Deus; isto é, se for uma pregação expositivamente da Bíblia. Caso o pregador não pregue expositivamente, nunca pregará mais do que tem dentro de sua cabeça; se não compreender o texto, meditar nele, considerá-lo com cuidado e entender o seu contexto, não pregará senão a sua própria mensagem. Ao se doar para estudar o texto ouvirá Deus falar com ele de forma surpreendente. Ninguém recebe a Palavra de Deus de forma inata, não surge dentro de nós, Deus revela a sua Palavra e devemos ouvi-lo falar na Bíblia.

Nas igrejas em células as pessoas compartilham a Escritura sem qualquer preparo, o ensino deles não tem autoridade; este modelo de comunicação da Palavra não tem base na Bíblia. Aponta-se na Bíblia pregadores e o povo diante deles humildemente recebendo a Palavra de Deus com choro e quebrantamento, animo e regozijo pelo entendimento. O povo deve receber um ensino autorizado e viver com base nele. Experiências contemporâneas confirmam a eficácia da pregação expositiva e a Bíblia traz exemplos. A Palavra gera vida em nossos corações como na criação (Gênesis); o povo esteve em pé para ouvir a leitura e a explicação do Livro (Neemias 8); a Palavra gera vida no vale dos ossos secos (Ezequiel 37.10-13); Paulo exorta a Timóteo “prega a Palavra” (II Timóteo 4.2); os apóstolos diante de outras demandas, afirmam se consagrarem com prioridade à oração e a Palavra de Deus (Atos 6.4); a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus (Romanos 10.17).

O Rev. Mark nos deixa a recomendação de pregar em série e por inteiro os livros da Bíblia; embora seja possível pregar temas expositivamente em uma fração de texto, por exemplo, para caminhar pelas Escrituras e refutar heresias especificas ou para responder a questionamentos. Afirma que um pregador sem o conhecimento do texto grego pode pregar expositivamente com o uso de traduções da Bíblia, ainda que seja importante conhecer as línguas originais, só é imprescindível para os tradutores. Bons pregadores podem ser usados por Deus para pregar expositivamente, mesmo não sendo eruditos, porque as traduções do texto original nos dá o entendimento do texto com fé pública.