Total de visualizações de página

sábado, 10 de setembro de 2011

A culpa é de quem?

Você já recebeu uma notificação de autuação: excesso de velocidade? Ficou irritado? Mas e daí? A culpa é sua e de mais ninguém e você precisa assumir as conseqüências.

O mundo está passando por uma crise econômica. Será que entramos nessa por acaso? Ou, é fruto de imprudência e falta de planejamento nosso? Certamente, grandes empresários e banqueiros deram passos maiores que as pernas.

Nos detalhes simples e nos mais complexos da vida, no cuidado ao dirigir e na administração os seguidores de Cristo, os eleitos que foram livres da condenação do pecado, precisam viver com prudência e obedecer à Palavra de Deus. Só assim poderão contar com a proteção e o cuidado do Pai.

Os discípulos de Jesus sabem que enfrentarão dificuldade sempre. Mas não abandonam o barco, nem se acovardam ou se desesperam, somente quando estão cientes das promessas e da esperança de que estão no rumo certo e chegarão ao alvo mais precioso.

Os discípulos planejam seus passos, renunciam o que for preciso e buscam o equilíbrio em favor do reino de Deus, orientados pela sabedoria do alto e não a do mundo.

Alguns princípios, simples e essenciais, para nossa vida e nosso trabalho na igreja, a partir Lucas 14.33(Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo.), devem nortear nossa visão: é mais importante ser do que ter! Quem inclui Deus no projeto de vida age com prudência! Uma motivação errada anula o ato praticado! Autenticidade é melhor do que imagem! Pense de si e de Deus corretamente, de acordo com a Bíblia!

Diante das correntes que ameaçam a fé Cristã, as quais encontram força nos meios de comunicação para minar as nossas consciências, requer de nós que, sejamos mais vigilantes. Seguir a Cristo implica ser mais cautelosos.

Jesus exige de nós amor e obediência absolutos. Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida Eterna, isto é, só Ele pode dar a vida eterna. Vale à pena segui-lo, pois ele morreu por nós na cruz. Somos gratos pelo seu gesto de amor, pedimos perdão pelas vezes que o desobedecemos e ajuda para não cairmos mais em tentações.