Total de visualizações de página

domingo, 18 de setembro de 2011

Uma Igreja Reformada: identidade e história

Antes de falarmos que a Igreja Presbiteriana de Dracena é Reformada enfatizamos que, ela é autêntica. Porque autenticidade é mais importante do que identidade, o que é muito mais importante do que imagem (marketing). Muitas igrejas e seus membros perderam os seus nomes (sua identidade) e não sabem quem são e a quem servem e o que podem pensar de si mesmos e de Deus. Passaram a expressar na sociedade e na mídia uma imagem falsa de alegria e de saúde, para suprir as necessidades humanas de coisas com valor de signo ou de natureza emocional, mas sem qualquer relação com a verdadeira espiritualidade ou com a realidade, o que é realmente necessário. Essa falsidade e engano experimentados no ambiente religioso são o reflexo e conseqüência de perdas de sentido e propósitos, perdas de um nome, de uma história e de uma identidade.

Uma igreja sem autenticidade é um povo sem nome, sem passado e sem história que, segue sem futuro o seu próprio caminho; os seus membros seguem um ícone criado por suas próprias paixões, ela se traveste para se tornar atraente e desejável, como um produto de prateleira no mercado do sistema religioso que seduz, explora financeiramente e cega espiritualmente.

No artigo anterior apresentamos uma igreja autêntica e reformada, estamos falando da única e verdadeira igreja de Jesus Cristo que retornou à verdade das Escrituras historicamente na Reforma Protestante no século XVI, da qual, nossa igreja é herdeira em Dracena. É a Igreja preservada, espalhada e sustentada por todo o globo terrestre, e também parte da Igreja Presbiteriana do Brasil – IPB – implantada em 1859 por ocasião da chegada do missionário americano Ashbel Green Simonton e integra a comunidade internacional de igrejas originárias da Reforma Protestante que foi deflagrada na Alemanha por Martin Luther (Lutero) no dia 31 de outubro de 1517 e do presbiterianismo que surgiu na Escócia sob a liderança de John Knox em 1533. Sua teologia foi organizada pela mente mais inteligente do final do período da Renascença e início do Iluminismo, cuja influência está presente em todas as igrejas reformadas e na sociedade européia e americana, o erudito filósofo, humanista, com formação em Direito, Letras e Teologia, estadista e pastor de Genebra, na Suíça, John Calvin (Calvino). Rege-se pela Constituição Interna, Código de Disciplina e Princípios de Liturgia da IPB. Portanto, é bíblica na sua pregação, celebração dos sacramentos e na prática da disciplina; fervorosa na oração e racional na adoração; relevante na cidade onde está estabelecida desde 1959; na “Cidade Milagre”, Dracena – São Paulo.

É Reformada, ou seja, aceita a identidade com a Reforma da Igreja ocorrida no Século XVI, aceita como bíblicos os ensinamentos dos reformadores e adota o moto da Reforma: “Ecclesia Reformata et Semper Reformanda Est” (igreja reformada sempre se reformando) e suas marcas: “Sola Scriptura, Sola Fides, Solus Christus, Sola Gratia, Soli Deo Gloria”.

A Igreja Presbiteriana de Dracena aceita o desafio de tornar vivas para a sua geração e para as novas gerações, as mesmas verdades bíblicas resgatadas pelos reformadores em seu próprio tempo, exercendo um serviço fiel, arrojado, dinâmico e impactante, sem aceitar doutrinas e métodos que firam os ensinos da Escritura, os padrões de fé da IPB, seus Princípios de Liturgia, sua eclesiologia, e as decisões do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil.