Total de visualizações de página

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

O Milagre de Natal! – Domingo de Natal.

Leia: Mateus 1.23.


O verdadeiro Natal é um acontecimento tão sublime que, precisa ser lembrado todos os dias. Por ser tão especial precisamos de uma data para lembrá-lo, já que tudo o que mais importa, não deve ser esquecido. Por não ter nada no mundo que se compare a ele, nos vemos obrigado a escolher uma data, mesmo sabendo que não é a data do aniversário daquele que é Eterno, nem a data de Sua encarnação, mas é um dia especial, de grande festa! É Natal!
Celebramos a presença de Deus, Emanuel (Deus conosco), o qual se põe no nosso mundo, adota os nossos hábitos e aprende a nossa linguagem, partilha o nosso pão conosco e fala abertamente dele como sendo o pão vindo do céu.
Deus, por Ele, alcança a humanidade, concretiza o plano eterno de redenção. Vem ao mundo o Salvador nascido de mulher, tornou-se o filho de dona Maria e de seu José, sem teto, morador de rua da primeira noite de Natal; nasceu num abrigo de animais, estrangeiro e peregrino na cidade natal de seu pai, descendente de um trono derribado e esquecido. Ninguém cogitou sua linhagem real, senão estrangeiros, magos, os quais não o encontraram na corte do rei Herodes, onde se esperava segundo a lógica humana que nascesse o messias Rei dos Judeus!
Ele se achega humildemente, pede licença, tem o consentimento da humilde serva para fazer conforme a vontade daquele que o enviou, efetuada pelo Espírito Santo. Sua divindade é confirmada, não pelo sucesso da Sua empreitada aos olhos humanos, mas pela sua encarnação e humilhação.
Quem diria que o Senhor do universo vem com humildade, empenha-se em mostrar-se humano, obediente e temente a Deus. Comunica em paz sua mensagem de amor e perdão, ignorando os opositores, explicando o seu caráter e razão de existir e estar entre eles, por meio de linguagem simples em parábolas maravilhosas.
Deus Onisciente, Onipresente e Onipotente, Ele mesmo tinha que se fazer gente.
O curso da história nunca foi mudado por um homem louco e arrogante que se fez deus, mas por um Deus humilde e bom que se fez homem. O acontecimento do Natal mudou o curso da história. Deus abalou o mundo com um bebezinho, pequenino, frágil e dependente...
O Natal gera alegria porque é um evento extraordinário, admirável, maior que todos os milagres que alguém já te contou. Nunca maior será visto, e, jamais outro igual tornará a acontecer.
Deus se fez humano, gente pequena, pobre, peregrina, obediente e mansa, acolhendo sua missão e condição entre nós, semeando a semente da fé nos corações de todos os povos, raças, línguas, nações, condições sociais, sexos e idades, para crerem numa única e universal verdade, a Sua revelação, a revelação de Deus na pessoa de Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador!