Total de visualizações de página

quarta-feira, 11 de abril de 2012

DESOBEDIÊNCIA CIVIL E CORAGEM PARA DIZER NÃO SIGNIFICA FIDELIDADE AO PROJETO DE DEUS

Os protestantes estão prontos para desobedecer; estão prontos para dizer NÃO; pelo menos os que verdadeiramente são cristãos protestantes.

Não concordamos com a imoralidade financiada pelo governo, vamos dizer NÃO a promiscuidade, NÃO a prostituição, NÃO ao ABORTO, e, defender a fé cristã, a família segundo a Bíblia, o direito de expor a BÍBLIA, mesmo que cause desconforto aos que não concordam ou não compreendem a mensagem do Reino de Deus: “Arrependam-se e creiam nas boas novas!” (Marcos 1.15; Texto bíblico: NVI).

Não aceitaremos mordaças aos estudantes e aos intelectuais cristãos nas escolas e universidades, não se calarão ante ao ateísmo considerado científico e inteligente, pois isso é falso; o ateísmo, muitas vezes, é político e religioso, mas é sempre, e no mínimo filosófico e anticientífico!

Não estamos enfraquecidos pelas ameaças, porque sempre tivemos os problemas atuais e nunca desanimamos, sempre sofremos os perigos do esfriamento, das perseguições e dos falsos profetas, pois sempre enfrentamos inimigos externos e internos e nunca desistimos.

O padre romano que chamou os protestantes de “idiotas” e “arrogantes” por questões relacionadas ao papel medianeiro de Maria, reconheceu que a voz protestante continua contrária e representando o pensamento cristão, como uma temida “voz profética”, enquanto parte do clero papista, tornou-se “teólogos de corte”. Não estamos felizes com isso, pois desejamos o despertar e a unidade de todos os cristãos contra o avanço da institucionalização da iniquidade.

Os apóstolos foram presos enquanto ensinavam sobre Cristo. Mas foram libertos por um anjo que abriu a porta do cárcere, e, em vez de se acovardarem e se esconderem eles foram ao templo dominado pelos inimigos da Verdade e anunciaram a nova vida em Jesus Cristo (Atos 5.12-32). Foram presos novamente, Pedro e João, os quais eram tão grandes em audácia para proclamar a fé, sustentá-la a custa de suas próprias vidas que, as autoridades, embora tivessem poder para matá-los, temeram ser apedrejados pelo povo. Os apóstolos receberam “ordens expressas” para que não ensinassem em o NOME DE JESUS (Atos 5.28); no entanto a resposta estava ponta da língua: “É PRECISO OBEDECER ANTES A DEUS DO QUE AOS HOMENS!”. (Atos 5.29).

Que desejável manifestação de coragem! Mesmo ameaçados não recuaram!

Mesmo envergonhados por falsos irmãos, injustiçados por nossos inimigos, perseguidos sim, nem sempre com ameaças de morte, mas de sermos tratados com discriminação, considerados ultrapassados, obtusos, ignorantes, loucos, arrolados como desonestos com alguns, um grande número de cristãos verdadeiros resistem, pela força que não vem de si mesmos, mas do Espírito Santo.

O que aconteceu com os apóstolos no primeiro século pode acontecer com qualquer um de nós, mas também podemos tomados pelo Espírito do Senhor enfrentar quaisquer circunstâncias, perseguições, discriminação, ataques diversos no cumprimento da missão que o Senhor NOS confiou.