Total de visualizações de página

sábado, 7 de abril de 2012

DEPOIS DAS TREVAS A LUZ

Por Anatote Lopes



Tecnicamente, qual é o dia de celebrar a PÁSCOA? Todo dia. A forma bíblica de celebrar a páscoa é nos reunirmos na igreja para a Ceia do Senhor. (I Co 11.26). A redenção existe onde há reconhecimento de culpa, perdão e graça; não existe redenção no isolamento das trevas do ódio e da amargura. A restauração foi feita como um favor imerecido para que, por meio de Jesus Cristo, nós recebêssemos a adoção de filhos na família de Deus.


Nós, cristãos protestantes, cremos que, no Cristo crucificado Deus substituiu cada um de nós. Ele levou sobre si os nossos pecados, morrendo em nosso lugar sem pecado algum, sofrendo a nossa morte, a condenação que nós merecíamos. Crer na salvação pela “Graça somente” SOLA GRATIA é uma marca distintiva e emblemática das igrejas reformadas.

A história da nossa redenção começa com o anuncio do nascimento de Jesus Cristo, seguido de sua encarnação ou nascimento; por isso os cristãos reformados também celebram o NATAL. Alguns evangélicos tem pavor da cruz, rejeitam festas cristãs como a páscoa e o natal por desprezo pela tradição e ignorância histórica e bíblica.

A cruz é um marco especial e simbólico da nossa redenção; pois, sem cruz não teríamos redenção e vida eterna com Deus. Como está escrito: “mas Deus prova seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Romanos 5.8). Só pela morte do Filho de Deus nossos pecados receberam perdão.

Deus, o Pai, é amor em si mesmo, Ele doa seu próprio filho em amor e graça. Este amor não pode ser medido, porque é um amor demonstrado por inimigos, e por uma humanidade pecaminosa através de uma cruz. Tão somente por amor satisfez plenamente por nós essa necessidade; o nosso Salvador padeceu até a morte, trazendo-nos a redenção por meio da sua morte na Cruz.

Celebramos a Páscoa porque cremos na mensagem de amor e paz, confirmada na Páscoa. Nela somos animados a olhar para frente com esperança. Diante das dificuldades encontramos coragem e disposição.

A mensagem da páscoa vem como luz para um mundo em trevas, violência e morte. Como nosso Senhor Jesus Cristo, nós, às vezes passamos por uma escuridão sepulcral, por um túmulo escuro, mas o Pai celeste que resgatou o seu Filho e derrotou o poder das trevas, agindo assim, por Ele alcançou cada um de nós com a sua maravilhosa luz.

A luz de Cristo brilha no meio da escuridão do túmulo vazio. Assim como a luz de Cristo iluminou aquela sepultura, também pode iluminar as trevas dos nossos corações dissipando a escuridão da desesperança, da incredulidade, da ausência de amor e de perdão. Por isso podemos glorificar e louvar Seu santo nome, como na máxima latina utilizada por Calvino: POST TENEBRAS LUX, ou seja, DEPOIS DAS TREVAS A LUZ.