Total de visualizações de página

quinta-feira, 17 de maio de 2012

DEUS É BOM

Gosto de dizer: Deus é bom!


Aprendi com o diácono Salvador; um guerreiro de Deus que trabalhou duro, tanto pela família quanto pela igreja e nunca fez distinção entre a igreja que se reunia no templo da sua igreja e a sua família. Que ainda vive momentos difíceis na vida, mas não deixou de dizer “Deus é bom!”.

A Bíblia diz que Deus sempre mostra quem Ele é por meio das coisas boas que faz (At 14.17). Uma coisa eu sinto em minha alma... Nos momentos mais difíceis, quando incompreendido e atacado por línguas maledicentes, ofendido sem motivo pela vaidade ou pela inveja dos homens... Deus estava lá... Quando aquele velho irmão me disse “Deus é bom”...

Deus me abraçava naquele dia...

Eu me sentia afligido pela dupla jornada de trabalho de pai e pastor e estava fraco; em vez de apoio recebi maus tratos de companheiros, mas Deus me abraçou...

Fui para servi-lo, assisti-lo no seu recolhimento, mas ele nem sabia... Que tudo que eu precisava ouvir é que Deus é bom!

Talvez você esteja também sobrecarregado, por exemplo, com a dupla jornada de ser pai e mãe, eu sei o que é isso, pois já fui “pãe”, “paistor”, e, nem aprendi a ser filho ainda! Ora, não é raro entre as mulheres que sofram até maus tratos dos companheiros, não é raro ou improvável que soframos maus tratos por irmãos na fé, amigos, pois os inimigos têm poucas oportunidades, mas somos traídos e humilhados por quem receberam nossas mãos estendidas de onde receberam apoio, ou de quem podem esperar auxilio.

Aprendemos que os sofrimentos de Cristo trouxeram coisas boas da parte de Deus para nós. Trata-se de uma oferta de vida abundante! Apesar da violência e morte, há sinais de esperança, num momento de sofrimento; Deus estava me levando pelo caminho melhor. Nem sempre a missão é compreendida como deve ser, por exemplo, alguns quiseram açoitar os apóstolos (At 8.1; 22.22), mas outros queriam adorá-los como deuses (At 14.11-18); uma coisa é certa: como membros da família de Deus, saímos das quatro paredes e ganhamos a rua, gerando expectativas boas e decepções em muitas pessoas e retornamos para o lar e encontramos pessoas que nos feriram e que ferimos e abrimos a chave da oração: o perdão (Mt 6.14).

Apesar disso o sol aparece ao amanhecer de um novo dia, dissipando a escuridão, e, há momentos em que a verdade se revela e os sinais da esperança ficam visíveis. Isso possibilita a alegria, permite que homens e mulheres comemorem as coisas boas que Deus faz! 

Deus é bom!...