Total de visualizações de página

quinta-feira, 24 de maio de 2012

“POREI EM VÓS O MEU ESPÍRITO”

Deus ordenou ao povo de Israel que celebrasse três grandes festas anuais: a primeira, a Páscoa, que comemora a saída dos israelitas da terra do Egito; deveria acontecer no mês de abibe ou nisã, o primeiro do ano judaico, que corresponde ao período compreendido entre os meses de março e abril do nosso calendário. (Dt 16.1).

A segunda, sete semanas depois da Páscoa é a festa das semanas ou das primícias, quando eram trazidas as ofertas de manjares, preparadas com as primícias de toda a colheita, e que por acontecer no quinquagésimo dia depois da Páscoa foi chamada de Pentecostes (Dt 16.9 e Nm 28.26).

A terceira era a dos Tabernáculos, grande festa em ação de graças pelas colheitas realizadas durante o ano.

Hoje é o quinquagésimo dia depois da Páscoa, é o dia de Pentecostes.

Jesus, antes de sua ascensão havia determinado aos seus discípulos que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai. (At 1.4).

Deus tinha prometido ao seu povo: “Porei em vós o meu Espírito” (Ez 37.1-14).”Acontecerá naqueles dias que derramarei o meu Espírito sobre toda carne”(Joel 2.28).

Ao cumprir-se o dia de Pentecostes estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente veio do céu um som, como de um vento impetuoso e encheu toda a casa onde estavam reunidos; e apareceram, distribuídas sobre suas cabeças, línguas como de fogo e todos ficaram cheios do Espírito Santo” (At 2.1-11) e passaram  a  falar  em  outras  línguas  segundo o Espírito lhes concedia que falassem”(At 2.4).

Cumpria-se, assim, a promessa do Pai. Jesus havia dito: “Recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo e sereis minhas testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra” (At 2.8).”Quem crer em mim como diz a Escritura, rios de água viva fluirão do seu interior; isto ele disse se referindo ao Espírito Santo, que haviam de receber” (João 7.37-39).

A descida do Espírito Santo no dia de Pentecostes marcou o nascimento oficial da Igreja, pois naquele dia ela nasceu do Espírito, no qual foram batizadas quase três mil pessoas (At 2.41).

“Eles foram batizados num só Espírito, a fim de formarem um só corpo” (I Co. 12.13).

O corpo de Cristo é a igreja, única morada do espírito Santo aqui na terra, e onde se reunirem pessoas que se amam fraternalmente para adorar, louvar e glorificar a Deus, enchendo-se de forças para servir ao próximo, aí está o Espírito de Cristo, que é concedido a cada um para o bem comum; pois embora sejam muitos é um só corpo. (I Co 12.7 e ss).

A Igreja, sendo o corpo de Cristo, se constitui de muitos membros que são diferentes uns dos outros, mas na diversidade dos membros é que reside a unidade do corpo. O Espírito de Cristo é um espírito de unidade porque é amor. Os rios de água viva que fluem do nosso interior são a solidariedade, o perdão, a bondade e a misericórdia no serviço para com todos, que nos fazem ser um no amor de Jesus.



                                                                                                                    Rev. Guilherme Luz.