Total de visualizações de página

quinta-feira, 10 de maio de 2012

A Reinvenção da Roda

  Que dilema! Vivemos o fenômeno das mega-igrejas ao lado do fenômeno dos "desigrejados"! 

    Pessoas saem das igrejas porque as igrejas não expulsão mais ninguém. Só úteros e genitálias são disciplinados desde os tempos dos meus bisavós. A disciplina eclesiástica, praticamente, acabou no século XIX. Com o inicio do século XX veio a proliferação de igrejas que atendeu a demanda gerada pela insatisfação com a Doutrina e a Liturgia das igrejas históricas, manifestando-se em forma de "onda", a primeira foi o movimento pentecostal (1ª Onda de várias), hoje o problema do descrédito religioso e de todas as instituições é sério, pois a mídia que leva a mensagem noticia o escândalo, soma-se a tudo isso a saturação da criatividade; não falta mais nada para se inventar, já inventaram de tudo! E, de tudo se pode esperar, isto é, novidade nenhuma surpreende mais ninguém... Sobrou a opção de não optar; fica mais fácil criticar os outros e ficar ileso. 

    Os "desigrejados" são uma massa que alguns espertos querem travestir de opção consciente e inteligente, e, arrebanhar mais uma "parcela" deste grande mercado que virou a religião. Os desigrejados já estão se organizando para continuar na mídia, e continuam arrecadando e investindo, sustentando e bancando algum projeto de alguém com o ego tão inflado que prefere recomeçar a corrigir, ser o pioneiro da novidade do que continuar edificando sobre o fundamento antigo de Cristo e dos Apóstolos, para depois, ter que dizer para os incautos que, reinventaram a roda e recomeçaram o antigo, e, que são também a mesma Igreja de Cristo. Cíclico. Lógico. Não existe nada novo debaixo do sol.