Total de visualizações de página

sexta-feira, 24 de maio de 2013

ANIMO E FORTALEZA

25 de maio
Eu tinha uma coisa na cabeça da qual não queria vos falar antes de encaminhá-la definitivamente. Agora que é certo que ela vai dar em nada, posso contar-te tudo. Quis ir à guerra. Alimentei este projeto muito tempo aqui, dentro de mim. Foi esse o principal motivo que me levou a seguir o príncipe, que é general a serviço da ...ia. Manifestei-lhe o meu desejo em um passeio, ele conseguiu dissuadir-me do propósito, e seria mais obstinação do que capricho de minha parte não aceitar suas razões.” (J. W. Goethe). 

O poeta e escritor cristão da Alemanha Johann Wolfgang Goethe escreveu este parágrafo enigmático, porque é de seu estilo escrever assim; às vezes dilacerando o texto, jogando entre a realidade e a ficção, ocultando nomes, referencias e detalhes, pois não cita nomes e lugares verdadeiros, mas também não lhes inventa outro nome. O que pretendo mostrar aqui é que, claramente ele foi convencido a desistir da guerra por aquele que mais deveria acreditar nela. Diferentemente de quem segue a Jesus, o Rei vitorioso, o próprio Deus, nos fortalece e anima para nunca desistirmos diante das adversidades. 

O Cristão perseguido e desafiado é por Deus encorajado; mesmo quando corre o risco de ser queimado vivo. Quando existiam entre os cristãos muitos feridos e ameaçados, eles foram encorajados a vencerem a tentação de, por causa do desanimo, não comparecerem aos cultos, deixando de congregarem em suas comunidades. 

O escritor de Hebreus 10.19-31 com essa Palavra inspirada pelo Espírito Santo encoraja os crentes a resistirem às adversidades que põem em risco a sua vida espiritual. Diante das adversidades o Espírito comunica que Cristo é superior a tudo e que vale a pena continuar e prosseguir na fé, para aqueles que realmente iniciaram sua caminhada com Jesus Cristo, mostrando-lhes a liberdade em Cristo Jesus, a presença do Senhor para nos fortalecer e o nosso acesso ao pai sem os intermediários. (10.19, 20). 

Ao mesmo tempo em que nos anima com a graça e nos conclama a uma conduta correspondente a Cristo, a usufruir desse Caminho aberto por Ele, a aproximarmos de Deus com um coração puro e sincero, a manter firme a confissão da esperança, a amar o nosso próximo com amor fraternal, e, mesmo ameaçado, não deixarmos de congregar, fortalecer e de animar uns aos outros na igreja. 

Quando machucados, feridos, decepcionados, mesmo que tenhamos os nossos corpos queimados por causa da nossa fé, nunca deixaremos de lado a fé, a comunhão, a vida comunitária da igreja, a Palavra de Deus. Há muitas perseguições, ameaças, escândalos e toda sorte de adversidades que tentam nos desviar do caminho apontado na Palavra de Deus, de nosso Senhor Jesus Cristo, por isso ouçamos a Palavra de Deus que nos anima e fortalece. 

Anatote Lopes, IPB, 2013.