Total de visualizações de página

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

A GENEROSIDADE SEGUNDO CRISTO


O povo de Deus é generoso, por isso a igreja fundou o Projeto Esperança, a fim de dar pão e o Pão do Céu. Às vezes julgamos que todos os que passam necessidade sejam preguiçosos ou mal intencionados, mas isso não é verdade, o quanto tem sido pretexto para a avareza de muitos.

“Compaixão” é sentir a dor do outro e “misericórdia” é trazer a miséria alheia no seu coração, é olhar a quem nos pede e se sentir no seu lugar. Há exploração no mundo, mas existe muita necessidade. Jesus disse: “os pobres sempre tereis convosco” (Mt 6.11), para que não os abandonássemos, antes continuássemos a Sua obra.

As Escrituras afirmam: “não nos cansemos de fazer o bem” (Gl 6.9). Antes de dizer “não” aos que pedem ajuda, convém averiguar a nossa situação e fazer a nossa parte. Na Bíblia também aprendemos que alguns sem saber acolheram anjos (Hb 13.12).

A generosidade é a fé ativa (Tg 2.14), pois recebemos de Deus tudo o que somos e temos por amor, por que seriamos tão egoístas a ponto de passarmos tanto tempo sem um gesto de caridade?

A maior prova da graça de Deus é Ele nos dar o Seu Único Filho a morrer numa cruz para nos salvar, sendo nós ainda pecadores (Rm 5.8). Deus ainda faz o sol brilhar sobre todos. Liberta-nos da escravidão do pecado, permite muitas vezes a escravidão no mundo, como assistimos recentemente a exploração dos médicos cubanos no Brasil, mas ele promete julgar a causa dos trabalhadores defraudados. (Tito 5.1-3).

Deus não nos dá o que merecemos, nem a sua graça é uma restituição aos homens, no entanto aprendemos que no Juízo ele punirá os maus mordomos. É quando dirá: “Presta conta da tua mordomia” (Lucas 16.2). Por isso o Conselho desta igreja decidiu aplicar as ofertas dividindo equitativamente entre a Associação Projeto Esperança, causas locais e diaconia, missões nacionais (JMN) e missões estrangeiras (APMT). Portanto doemos com generosidade, pois o “Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber.” (Atos 20.35).

Anatote Lopes, Ipd Dracena, 2014