Total de visualizações de página

sexta-feira, 8 de março de 2013

CONTINUADORES DA OBRA DE JESUS



Jesus veio assumindo a forma de servo, ele lavou os pés dos seus discípulos, isto é, Ele expressou seu amor no serviço ao próximo. Ele é servo por natureza. O ser humano naturalmente esperava dele outra atitude: a atitude de um soberbo rei, um senhor e não um servo lavador de pés. 

A dificuldade humana não é só de visão é de libertação da cadeia do orgulho e da vaidade.

A dificuldade do ser humano servir ao Senhor Jesus como ele exige aumenta com a recomendação: “Ora, se eu, sendo o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros”. (João 13.14).

Somente quando os homens abandonam suas disputas de poder insufladas pela vaidade dos interesses próprios e do orgulho humano que, verdadeiramente, a recomendação de Jesus é obedecida e sua obra é continuada.

Convém destacar que Ele apresenta o seu exemplo. “Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.”. (João 13.15). Muitas vezes nós gostamos de apontar para outros exemplos, principalmente os nossos, até mesmo nos julgamos como bons, mas Jesus nos mostra que os exemplos que apresentamos para substituir os Dele e principalmente, nós mesmos, como exemplos, estão dispensados. Nós sempre vamos olhar uns aos outros com desdém e nos acharmos grande coisa e acusaremos uns aos outros para ocultar nossos próprios defeitos porque somos muito maus, mas Cristo é bom e perfeito. Por isso o único exemplo, necessário e decisivo é o Dele.


A vida e a ação de Jesus Cristo nosso Senhor comprovam que Ele veio para servir.

A continuidade de sua obra é figurada na prática cultural de lavagem dos pés por um criado. Lavar os pés não é válido por si só, como por exemplo, fazer isso literalmente ou fazer algum serviço e contar vantagem, mas expressar o amor no servir ao irmão ou irmã é verdadeiramente imitar o que o Mestre fez. Devemos olhar para Cristo e nos deixar motivar pelo amor de Deus derramado em nossos corações pelo Espírito Santo.

Lavarmos os pés uns dos outros é amar uns aos outros, perdoar uns aos outros e servir uns aos outros como ele nos amou, perdoou e serviu, esta é a única forma de continuarmos a obra de Jesus Cristo no mundo. Entre nós, e se não fazemos isto, não é a Cristo que servimos.

Quem se preocupa apenas em cumprir compromissos religiosos e sociais, regras e rituais está confundindo a verdade do evangelho com a hipocrisia religiosa, Jesus é a nossa vida, somente motivados pelo seu amor, perdão e serviço deixamos as obras mortas e infrutíferas para servi-lo melhor e frutificarmos abundantemente.

Precisamos da motivação certa, todas as nossas obras devem ser motivadas pelo amor, pelo perdão em obediência, isto é, imitando o exemplo do Mestre em tudo que fizermos. O que só acontece pelo poder do Espírito Santo na vida de quem já foi purificado no Sangue do Cordeiro de Deus. Siga a recomendação de Jesus: lave os pés dos outros. É obediência ao Senhor e uma decisão ética de cada cristão capacitado pelo Espírito Santo. Siga o exemplo do Supremo Amor, não desvie os seus olhos do seu exemplo, seja um servo, disposto, motivado para humildemente lavar os pés dos outros.


Anatote Lopes, 2013